segunda-feira, 31 de outubro de 2016

FÚRIA ABRASADORA (André De Toth/1947)

Sinopse: Mulher perde noivo em meio a uma guerra entre fazendeiros, mas herda seu rancho e resolver enfrentar os donos de gado da região.

Os mocinhos do filme navegam por águas moralmente caudalosas: jogam sujo contra o adversário, rebaixando-se ao nível dele, levando à morte de inocentes como efeito colateral; a suposta "dama em perigo" (Veronica Lake) não hesita em seduzir os aliados para obter o que deseja, dispondo-se a burlar a lei e enganar seu braço direito (Joel McCrea). A torpeza (evidente) e a sexualidade (sugerida) a pairar sobre as maquinações da trama fazem com que Ramrod volta e meia ganhe o rótulo de híbrido western-noir. Curioso notar que as melhores cenas de tiroteio ficam a cargo do carismático coadjuvante Don DeFore (que lembra o jovem Ben Johnson) em vez do pacífico McCrea. Difícil apontar um só plano que pareça desleixado, ou ostentatório: a encenação de De Toth prima pela elegância simplificada, tal qual a narrativa que vai direto ao ponto.

4 comentários:

  1. Joel McCrea protagonizou vários westerns nos anos cinquenta.

    De Andre De Toth eu assisti apenas o clássico "Museu de Cera".

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. André De Toth é a imagem de um diretor que não me saí da cabeça desde quando vi fotos dele com tapa olho pirata. Era um cara que passeava pelo gênero sem medo e frescura. Meu favorito sempre será "Museu de Cera" que trazia o melhor momento de Vincent Price.

    Este ainda não vi, mas a premissa é interessante. Já viu "Quadrilha Maldita"? Filmão também!

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, vi. É outro bom western, neste mesmo estilo preciso, sem maiores adornos.

      Cumps.

      Excluir